2007-01-11
Ainda a "aguasfurtadas" na TSF.

 

O programa "Mais Cedo ou Mais Tarde", de João Paulo Meneses, dedicado à "aguasfurtadas" e emitido na TSF, no 10 de Janeiro, está disponível aqui (clique em "download").

furtado por Rui Manuel Amaral | 13:17

6 Comments:

Anonymous Alcebíades José said...

Tenho acompanhado online o crescimento deste sótão, onde um dia espero colaborar.
Contudo a curiosidade e admiração faz com que deseje antes de tudo, ler em papel a vossa publicação.
Onde posso adquiri-la?
omundodealcebiades@gmail.com
www.omundodealcebiades.blog.com

12:04  
Blogger Rui Manuel Amaral said...

Alcebíades, obrigado pelo comentário. Neste momento, a única maneira é encomendando o número que deseja para o mail jup@jup.pt, ao cuidado de Susana Marinho.
Infelizmente, continuamos sem distribuidora.

14:15  
Anonymous maria josé lima said...

Olá Rui. Gostei de saber notícias.
Fiquei com a curiosidade "aguçada".
Espero que a revista também me surpreenda...

15:15  
Anonymous Anónimo said...

" a destruição é, em si, um acto de criação"
Miguel Bakunine


Estudante!


Está na hora da grande festa destrutiva.
Nem mais um minuto de aulas de substituição!
Está na hora da revolta.
Temos de estar preparados para dar resposta à cambada instalada no poder.
Está na hora da grande festa da destruição.
Marquemos o 3º periodo escolar para uma orgia destrutiva e com uma posição firme contra a puta da ministra e os dois chulos conhecidos como secretários de estado.
Uma primeira semana de ruptura.
Um período de negação e recusa às ordens prepotentes da canalha que se instalou na 24 de julho e na 5 de outubro.
Fogueiras nas escolas.
Recusa de qualquer aula onde não haja o professor da disciplina prevista no horário.
Companheiros e companheiras saiam do redil. ousem!
Não aceitem nem mais uma aula de substituição!
Temos direito à indignação!
Exijam que sejam tratados como homens e mulheres livres.
A substituição é uma palhaçada!
Se há uma falta dum docente não podemos aceitar que outro ocupe o seu lugar e sejamos empurrados como carneiros para dentro de uma sala.
E tu universitário...
Tem a coragem de te solidarizar connosco.
Vem à luta!
Não fiques à espera que nós acabemos o 12º ano para iniciares o teu ritualzinho nazi e patético a que chamas praxe.
Vem à luta!
Falta pouco para que a cambada governativa estenda as suas medidas às universidades.
Vem à luta!
Despe a merda do traje académico e veste-te como gente!
Vem, tu também, incendiar o ministério da educação.
Indigna-te. A tradição académica não é o traje negro nem a praxe. É a revolta.
E tu professor, desobedece! Ousa desobedecer!
Desobedece à ministra e à merda dos sindicatos reformistas que te seduzem com greves e manifestações controladas.
A greve selvagem é uma festa!
Olha para a miséria do teu quotidiano e, revolta-te!
Chegou a hora da grande festa da liberdade.

Não queremos palavras de ordem.
Não queremos manifestações autorizadas pelos bufos dos governos civis.
Queremos mesmo a revolta generalizada.
Queremos a cabeça da puta da ministra (se possível) a escorrer sangue. E muito.
Queremos acabar com esta orgia dos poderosos.
Queremos outra orgia:
A da liberdade.
A de sermos felizes.
Não queremos as escolas redil
Não queremos as escolas canil
Não queremos as escolas prisão
Não queremos as escolas depósito de adolescentes como querem os governantes e as patéticas associações de pais controladas e manipuladas pelos partidos políticos.

Queremos, sim, uma escola onde se aprenda em liberdade.

Depois das férias da páscoa abriremos - todos juntos - a época da caça aos governantes e à cabra do ministério que de educação não conhece uma letra do tamanho dum camião TIR.
Não aceites o controle dos tontos dos partidos - eles vão tentar tirar dividendos da tua revolta.

amigos
estamos em guerra

passa a mensagem, como poderes, para todas as escolas do país. Esta nossa guerra terá várias batalhas. Temos de ser pacientes e espontâneos em cada combate.
colabora
da páscoa ao verão não podemos baixar os braços. temos de os combater e derrotar.

23:23  
Blogger fercris77 said...

Rui, publiquei alguns textos poéticos na águas furtadas nº 8. Não sei se irei a tempo de te enviar alguns para a nº 10, gostaria muito que desses uma vista de olhos.

Um abraço,

Fernanda Cristina Santos

11:55  
Anonymous Anónimo said...

a espera torna-se dorida.

12:00  

Enviar um comentário

<< Home

Bem-vindo ao blogue da
aguasfurtadas
revista de literatura, música e artes visuais

| g r u p o e d i t o r i a l |

| i n f o |

A "aguasfurtadas" é uma edição do Núcleo de Jornalismo Académico do Porto.

Rua Miguel Bombarda, 187, R/C, 4050-381 Porto.

| n ú m e r o a c t u a l |

| a g u a s f u r t a d a s 1 0 |


Poemas de Angélica Freitas (com introdução de Ricardo Domeneck), Rogério Rôla (com introdução de Margarida Vale de Gato), Vítor Oliveira Jorge, Pedro Amaral, Gez Walsh (com tradução de Hélder Moura Pereira), Stéphane Mallarmé (com tradução de Manuel Resende) e William Shakespeare (com tradução de Manuel Resende).
Contos de António Gregório e Luís Graça.
Ensaios de Manuel António Pina, Tiago Bartolomeu Costa, Samuel Silva e João Pedro d'Alvarenga.
E ainda um texto de Óssip Mandelstam, com tradução de Nina Guerra e Filipe Guerra.
Ilustrações de Arff, Ana Justo, João Marçal, Francisco Cruz, Pedro Augusto, Scotch, Ana Xé Ribeiro e Agostinho Santos (com texto introdutório de André Sousa Martins).
Fotografias de Ângelo Fernandes, António Vieira, Filipe Silva, Luís Duarte, Hélio Mateus, Sofia Serrão e Fátima Séneca.
Bd de Jorge Soares.
Partituras de Ângela Ponte, Nuno Estrela e Nuno Peixoto de Pinho.
CD áudio com obras de Ângela Ponte, Nuno Estrela, Nuno Peixoto de Pinho, Carla Oliveira, Fátima Fonte e Gustavo Costa.


| P o n t o s d e v e n d a |


Em Lisboa:
Livraria Da Mariquinhas

No Porto:
Galeria Sargadelos
Pulga
Poetria
Unicepe
Matéria Prima
Maria vai com as outras
Leitura
Livraria Utopia (Rua da Regeneração, 22; Telef.: 222 083 526).
Livraria Nova Fronteira (C. C. Brasília, Rotunda da Boavista).
Biblioteca Musical (Rua Cândido dos Reis).
Livraria Índex (Rua D. Manuel II, junto ao Palácio de Cristal).

Encomendas on-line: A revista também pode ser encomendada via internet. Para isso, basta usar os serviços de encomenda on-line das livrarias acima citadas ou através de um pedido directo para o editor, enviando um mail para jup@jup.pt.

| b l o g a r c h i v e s |

-->